Câncer Intestinal

Câncer Intestinal

O câncer intestinal é a segunda causa mais freqüente de mortes relacionadas ao câncer nos países do primeiro mundo, estando atrás apenas do câncer de pulmão. No Rio Grande do Sul encontra-se em quinto lugar, após o câncer de pulmão, estômago, mama e próstata. Apesar de sua alta freqüência é um dos tumores mais preveníveis.

cancer reto tun2

 

Dez Dicas para se proteger do câncer

1. Pare de fumar! Esta é a regra mais importante para prevenir o câncer.

2. Uma alimentação saudável pode reduzir as chances de câncer em pelo menos 40%. Coma mais frutas, legumes, verduras, cereais e menos alimentos gordurosos, salgados e enlatados. Sua dieta deveria conter diariamente, pelo menos, cinco porções de frutas, verduras e legumes. Dê preferência às gorduras de origem vegetal como o azeite extra virgem, óleo de soja e de girassol, entre outros, lembrando sempre que não devem ser expostas a altas temperaturas. Evite gorduras de origem animal (leite e derivados, carne de porco, carne vermelha, pele de frango etc) e algumas gorduras vegetais como margarinas e gordura vegetal hidrogenada.

3. Evite ou limite a ingestão de bebidas alcoólicas. Os homens não devem tomar mais do que dois drinks por dia, enquanto as mulheres devem limitar este consumo a um drink. Além disso, pratique atividades físicas moderadamente durante pelo menos 30 minutos, cinco vezes por semana.

4. É aconselhável que homens, entre 50 e 70 anos, na oportunidade de uma consulta médica, orientem-se sobre a necessidade de investigação do câncer da próstata.

5. Os homens acima de 45 anos e com histórico familiar de pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos devem realizar consulta médica para investigação de câncer da próstata.

6. As mulheres, com 40 anos ou mais, devem realizar o exame clínico das mamas anualmente. Além disto, toda mulher, entre 50 e 69 anos, deve fazer uma mamografia a cada dois anos. As mulheres com caso de câncer de mama na família (mãe, irmã, filha etc, diagnosticados antes dos 50 anos), ou aquelas que tiverem câncer de ovário ou câncer em uma das mamas, em qualquer idade, devem realizar o exame clínico e mamografia, a partir dos 35 anos de idade, anualmente.

7. As mulheres com idade entre 25 e 59 anos devem realizar exame preventivo ginecológico. Após dois exames normais seguidos, deverá realizar um exame a cada três anos. Para os exames alterados, deve-se seguir as orientações médicas.

8. É recomendável que mulheres e homens, com 50 anos ou mais, realizem exame de sangue oculto nas fezes, a cada ano (preferencialmente), ou a cada dois anos.

9. No lazer, evite exposição prolongada ao sol, entre 10h e 16h, e use sempre proteção adequada como chapéu, barraca e protetor solar. Se você se expõe ao sol durante a jornada de trabalho, procure usar chapéu de aba larga, camisa de manga longa e calça comprida.

10. Realize diariamente a higiene oral (escovação) e consulte o dentista regularmente.


Fontes: INCA/MS, 2002. Prevenção e Controle de Câncer. Revista Brasileira de Cancerologia, 2002, 48(3):317-332
INCA/MS, 2002. Programa nacional de Controle do Câncer da Próstata: documento de consenso
INCA/MS, 2003. Consenso para o Controle do Câncer de Mama

 

Quem está sob risco?

Após os 50 anos de idade os riscos aumentam bastante, principalmente em quem já teve câncer de mama, ovário ou útero, doenças inflamatórias intestinais, história familiar de pólipos ou câncer intestinal. Aconselha-se fazer uma colonoscopia a cada 10 anos ou alternativamente, fazer um toque retal e pesquisa de sangue oculto anualmente, acompanhado de sigmoidoscopia a cada 5 anos.

 

Quais os sintomas do câncer intestinal?

 

Muitos pólipos, e mesmo o câncer intestinal não produzem sintomas até que já estejam bastante desenvolvidos. Por isso é importante tentar encontrá-los quando são pequenos e facilmente removíveis.
Quando os sintomas ocorrem (sangramento ou alterações na função intestinal) são geralmente atribuídos às hemorróidas.

 

Como previnir o câncer intestinal?

Em primeiro lugar com uma alimentação rica em fibras, como os grãos, frutas e vegetais, e pobre em gorduras.
uitos pólipos (que são considerados lesões que levam ao aparecimento de câncer com o passar do tempo) e mesmo o câncer intestinal geralmente não produzem sintomas até que se tornem bastante avançados.

 

O que sao Pólipos?

Pólipos são crescimentos anormais que surgem na mucosa do intestino e que são em 90 por cento dos casos os precursores do câncer intestinal.
Eles ocorrem em 15 a 20 por cento da população acima de 50 anos.

tun4Pólipo

 

Quais os sintomas dos pólipos?

Geralmente não causam sintomas. Em raras ocasiões eles produzem sangramento, dor abdominal ou muco com as fezes.

 

Devem os pólipos serem tratados?

Como não é possível avaliar se um pólipo pode ou não transformar-se em câncer, recomenda-se a sua retirada através do exame de colonoscopia. Na maioria dos casos a sua retirada é muito fácil.
A colonoscopia, com a remoção dos pólipos, é um exame ambulatorial, seguro e com pequeno desconforto. A retirada dos pólipos, porventura existentes, é a melhor forma de prevenção do câncer.

 

Como previnir o câncer intestinal?

A maneira de prevenir sua ocorrência, ou mesmo conseguir uma alta taxa de cura caso já tenha aparecido, é detectá-lo precocemente através de exames apropriados, como, por exemplo, a colonoscopia. A colonoscopia é o exame que permite, que de uma forma eficaz e segura, se consiga visualizar todo o intestino grosso através de um instrumento flexível, de pequeno calibre, que serve também para realizar biópsias ou remover pólipos intestinais, claramente diminuindo o risco de que um câncer se desenvolva.

 

Câncer

O câncer é a segunda grande causa de morte por doença no Brasil, superado apenas pelas doenças cárdio-circulatórias. Segundo as previsões da área médica, num futuro próximo ele será a primeira causa de morte, na medida em que evoluem os tratamentos preventivos para as moléstias circulatórias e no fato da população estar envelhecendo cada vez mais.

Quando descoberto no inicio as chances de cura são altíssimas. Infelizmente, no Brasil cerca de 60 a 70% de todos os tipos de câncer são diagnosticados numa fase adiantada em que as possibilidades de cura são pequenas, sem mensurar os danos físicos, familiares e sociais.

Ainda hoje nos deparamos com casos simples que se tornam complexos, casos curáveis que se tornam incuráveis por falta de diagnóstico precoce e de acesso ao tratamento adequado em nosso sistema assistencial.

O câncer ainda não deixou de ser um tabu para a maioria das pessoas e só vai efetivamente deixar de ser na medida em que houver um maior investimento na educação fundamental com o foco principal na criança pela informação e orientação sobre o que é o câncer.

Desta forma, o entendimento de que esta doença pode ser evitada e, quando mesmo assim aparece e é diagnosticada precocemente, tem cura, permitirá que as novas gerações não o vejam como tabu.

Isso se baseia na crença de que o câncer na grande maioria das vezes é uma doença sócio-ambiental, ou seja, está ligado a hábitos e estilos de vida do cidadão em mais de 80% dos casos: fumo, excesso de álcool, má alimentação, estresse, uso de anabolizantes, e também de outros fatores externos que possam prejudicar a saúde.

Apenas uma pequena parcela possui comprovadamente uma herança hereditária.

Os principais meios de prevenção são os primários ( evitar os fatores de risco) e secundários (detecção precoce).

O TABAGISMO HOJE NÃO É CONSIDERADO MAIS COMO APENAS UM FATOR DE RISCO, E SIM COMO A MAIOR CAUSA EVITÁVEL DE MORTE POR DOENÇA EM TODO O MUNDO.

A bebida alcoólica também está associada à grande maioria dos tumores conhecidos, principalmente quando associado ao fumo pelo seu efeito somatório.

O câncer do colo uterino está intimamente relacionado com o baixo índice socioeconômico e cultural. É de fácil prevenção e leva cerca de 10 anos para que ocorra a mudança de uma lesão benigna para maligna.

 

Fornecemos gratuitamente, no consultório, um folder patrocinado pela Abrapec que se chama "Câncer do intestino, fique de olho"

Go to top